Archive for the ‘Uncategorized’ Category

Novos testes de detecção do VHI em Portugal

Novembro 12, 2007

 laco-da-sida.jpg

Fábio Canceiro

São testes rápidos que detectam em poucos minutos a existência ou não do vírus da Sida no nosso corpo. O processo é semelhante aos testes de gravidez. 

Este novo teste encontra-se em fase de divulgação e foi apresentado este Sábado durante a XI reunião sobre infecção VIH/sida, no Estoril.

Com este novo método os doentes portadores verão aumentar a suas possibilidades de cura, uma vez que até aqui o problema estava na diagnosticação tardia da doença.

Estima-se que haja em Portugal cerca de 20 mil casos de infecção diagnosticados, contudo o número de doentes por diagnosticar deverá ser duas vezes superior.

Fonte: DN

Beber cerveja após exercício físico faz bem

Novembro 4, 2007

cerveja-caneca-b.jpg

 Fábio Canceiro

Uma pesquisa levada a cabo por cientistas espanhóis sugere que a ingestão de cerveja após exercício físico pode ser benéfica para a saúde.

 

O jornal britânico Daily Mail publicou um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Granada em Espanha, no qual se demonstra que a bebida ajuda a repor o líquido que se perde na transpiração.

Segundo os investigadores os açúcares, os sais e o gás que contem a cerveja ajudam o organismo a absorver os fluidos mais rapidamente.

O estudo foi liderado pelo professor Manuel Garzon, que colocou 25 estudantes a correrem numa passadeira sob temperatura de 40º c.

No final metade dos estudantes bebia dois copos de cerveja, enquanto que a outra metade bebia água.

Esta experiência foi repetida durante vários meses.

A conclusão do estudo, publicada no Daily Mail, demonstrava que os estudantes que bebiam cerveja apresentavam níveis de hidratação superiores a quem bebia apenas água.

Segundo o Daily Mail, com base no estudo, os investigadores aconselham o uso moderado de cerveja após a prática de exercício físico – cerca de 500 ml para os homens e 250 ml para as mulheres, como parte de uma dieta atlética.

Fonte: Semanário Sol

Madeira: Mosquitos são impossíveis de erradicar

Outubro 28, 2007

aedes-aegypti-2.jpg

Fábio Canceiro

Numa entrevista dada à Lusa, o director regional de Saúde Pública da Madeira, Maurício Melim, pronunciou-se acerca da proliferação de mosquitos, “Aedes Aegypti”, que podem ser portadores da dengue.

Maurício Melim disse ser “praticamente impossível” erradicar os mosquitos da Região, mas assegurou que não há qualquer caso detectado na Região de mosquito portador do vírus. Nos últimos dias tem sido veiculadas notícias sobre um eventual surto da doença de dengue na Madeira, o que para o director regional no momento “não passa de ficção”. Melim assegurou que a Direcção Regional de Saúde Pública da Madeira está alerta e “ a seguir as orientações internacionais para lidar com este tipo de situações”.

Este tipo de mosquitos sempre existiu na Madeira, mas só foi detectado em 2005, porque “só se manifestam quando atingem uma certa densidade”.

O número de mosquitos tem aumentado e como explica Maurício Melim, “estão espalhados pelo globo, devendo-se o fenómeno a alterações climáticas, à forma como cresceram as cidades e às viagens a destinos exóticos onde existem estas doenças”.

“Falar em epidemias não ajuda”

Para o director regional não existe necessidade de alertar as pessoas e acrescenta que “falar de epidemias não está a ajudar em nada a Madeira, nem a saúde, nem o turismo”, que pelo contrário “só está a descredibilizar a Região”.
Maurício Melim explicou ainda que a luta contra o mosquito tem passado pelo “ controlo físico”( vistoria casa a casa, quarteirão a quarteirão). O objectivo é destruir o maior número possível de “criadoros”(local onde as fêmeas depositam os ovos).
Além de uma visita a milhares de casas no Funchal, o combate aos mosquitos tem passado também por utilizar produtos insecticidas em cursos de água e em sarjetas com vista a “matar os adultos”. “Tem surtido efeito mas não consegue erradicar os mosquitos, porque há ovos em locais onde não acedemos”, lamentou Maurício Melim
Anunciou igualmente que foram encomendadas armadilhas ao Brasil e à Alemanha e que está em cima da mesa um programa de colaboração com o Instituto de Higiene e Medicina Tropical, com vista a “lidar com o problema de forma mais eficaz, com conhecimento mais abrangente.

Fonte:Lusa/ Portugal Diário