Posts Tagged ‘saúde’

Beber cerveja após exercício físico faz bem

Novembro 4, 2007

cerveja-caneca-b.jpg

 Fábio Canceiro

Uma pesquisa levada a cabo por cientistas espanhóis sugere que a ingestão de cerveja após exercício físico pode ser benéfica para a saúde.

 

O jornal britânico Daily Mail publicou um estudo realizado pela Faculdade de Medicina da Universidade de Granada em Espanha, no qual se demonstra que a bebida ajuda a repor o líquido que se perde na transpiração.

Segundo os investigadores os açúcares, os sais e o gás que contem a cerveja ajudam o organismo a absorver os fluidos mais rapidamente.

O estudo foi liderado pelo professor Manuel Garzon, que colocou 25 estudantes a correrem numa passadeira sob temperatura de 40º c.

No final metade dos estudantes bebia dois copos de cerveja, enquanto que a outra metade bebia água.

Esta experiência foi repetida durante vários meses.

A conclusão do estudo, publicada no Daily Mail, demonstrava que os estudantes que bebiam cerveja apresentavam níveis de hidratação superiores a quem bebia apenas água.

Segundo o Daily Mail, com base no estudo, os investigadores aconselham o uso moderado de cerveja após a prática de exercício físico – cerca de 500 ml para os homens e 250 ml para as mulheres, como parte de uma dieta atlética.

Fonte: Semanário Sol

Anúncios

Madeira: Mosquitos são impossíveis de erradicar

Outubro 28, 2007

aedes-aegypti-2.jpg

Fábio Canceiro

Numa entrevista dada à Lusa, o director regional de Saúde Pública da Madeira, Maurício Melim, pronunciou-se acerca da proliferação de mosquitos, “Aedes Aegypti”, que podem ser portadores da dengue.

Maurício Melim disse ser “praticamente impossível” erradicar os mosquitos da Região, mas assegurou que não há qualquer caso detectado na Região de mosquito portador do vírus. Nos últimos dias tem sido veiculadas notícias sobre um eventual surto da doença de dengue na Madeira, o que para o director regional no momento “não passa de ficção”. Melim assegurou que a Direcção Regional de Saúde Pública da Madeira está alerta e “ a seguir as orientações internacionais para lidar com este tipo de situações”.

Este tipo de mosquitos sempre existiu na Madeira, mas só foi detectado em 2005, porque “só se manifestam quando atingem uma certa densidade”.

O número de mosquitos tem aumentado e como explica Maurício Melim, “estão espalhados pelo globo, devendo-se o fenómeno a alterações climáticas, à forma como cresceram as cidades e às viagens a destinos exóticos onde existem estas doenças”.

“Falar em epidemias não ajuda”

Para o director regional não existe necessidade de alertar as pessoas e acrescenta que “falar de epidemias não está a ajudar em nada a Madeira, nem a saúde, nem o turismo”, que pelo contrário “só está a descredibilizar a Região”.
Maurício Melim explicou ainda que a luta contra o mosquito tem passado pelo “ controlo físico”( vistoria casa a casa, quarteirão a quarteirão). O objectivo é destruir o maior número possível de “criadoros”(local onde as fêmeas depositam os ovos).
Além de uma visita a milhares de casas no Funchal, o combate aos mosquitos tem passado também por utilizar produtos insecticidas em cursos de água e em sarjetas com vista a “matar os adultos”. “Tem surtido efeito mas não consegue erradicar os mosquitos, porque há ovos em locais onde não acedemos”, lamentou Maurício Melim
Anunciou igualmente que foram encomendadas armadilhas ao Brasil e à Alemanha e que está em cima da mesa um programa de colaboração com o Instituto de Higiene e Medicina Tropical, com vista a “lidar com o problema de forma mais eficaz, com conhecimento mais abrangente.

Fonte:Lusa/ Portugal Diário

Medicamentos para a Artrite vão ser gratuitos

Outubro 20, 2007

enbrel.jpg

Os medicamentos para a artrite reumatóide, para a espondilite aquilosante e para outras três doenças crónicas (artrite psoriática, artrite idiopática juvenil poliarticular e psoríase) vão passar a ser gratuitos.

Até aqui, estes medicamentos não eram comparticipados, sendo pagos na totalidade pelos doentes. Em média um doente com artrite reumatóide podia gastar por ano entre três a dez mil euros só em medicamentos. O Enebrel, por exemplo, um imunomodulador que está disponível em Portugal desde 2000, custava 695 euros.

Num despacho assinado pelo secretário de Estado da Saúde, Francisco Ramos, “considera-se haver interesse público na dispensa gratuita destes medicamentos”. Contudo, o mesmo despacho indica que “estarão apenas disponíveis nos hospitais”, uma vez que “a especificidade dos tratamentos disponíveis e o risco dos próprios medicamentos impõem que a sua administração deva ser iniciada e controlada por médicos com experiência no diagnóstico e tratamento destas doenças”.

Estas enfermidades afectam cerca de oito mil portugueses, que desta forma poderão beneficiar de um acesso gratuito a estes medicamentos e aliviar um pouco a sua despesa de saúde.

Fonte: DN

Fábio Canceiro

Portugal com fracos serviços de Saúde

Outubro 5, 2007

servicos-de-saude.jpg

Portugal encontra-se em 19º lugar num ranking que avaliou os sistemas de saúde de 29 países Europeus.
A Health Consumer Powerhouse, uma organização sueca, levou a cabo um estudo que visou aferir a qualidade dos serviços de Saúde existentes na Europa.
O estudo incidiu sobre 29 países europeus, e colocou Portugal no 19º lugar, atrás de países como o Chipre, a República Checa, a Estónia ou a Eslovénia.

Uma longa espera por uma consulta de clínica geral ou de especialidade; elevada mortalidade por enfarte ou AVC; A escassez de operações às cataratas e de nos cuidados dentários, disponíveis, são pontos negativos que ajudam a explicar a baixa classificação de Portugal. Esta avaliação é coincidente com aquela feita pelo Ministério da Saúde, que admite ser necessário tomar medidas que ajudem a combater esta tendência.
Curiosamente este estudo já tinha sido feito o ano passado, e, na altura, Portugal ocupava o 16º lugar, mas o facto de o estudo se ter alargado à Bulgária, Noruega e Roménia, fez com que Portugal caísse 3 posições na lista.
O melhor qualificado desta lista foi a Áustria, seguida da França que foi considerado o ano passado o país com o melhor serviço de Saúde da Europa.

Fábio Canceiro

Fonte:DN